Jane Duboc Vaquer é paraense de Belém e está acostumada a cantar desde criança. Com treze anos de idade Jane Duboc já fazia apresentações filantrópicas no colégio onde estudou, na televisão e em festivais. Em Belém, Jane Duboc formou o conjunto "Ilusão" e quando morou em Natal ela formou o "Quarteto das Tri", cujo nome se deve ao fato de todas as integrantes terem sido tri-campeãs nos esportes (era um conjunto que imitava o "Quarteto em Cy"). Jane Duboc atuou muito como esportista, ganhando muitas medalhas em competições estaduais de natação, voleibol, tênis e tênis de mesa. Por suas qualidades esportivas, a Assembléia Legislativa de Belém criou o prêmio "Jane Duboc Vaquer" para incentivar todos os esportistas paraenses.

             Aos dezessete anos de idade Jane Duboc foi morar e estudar nos Estados Unidos (Columbus-Georgia), graças à uma bolsa de estudos que ganhou. Ficou por lá cerca de seis anos. Casou com o músico Jay Anthony Vaquer com quem tem um filho que se chama Jay Vaquer. Atualmente seu filho Jay está investindo na carreira de cantor com três discos lançados. Nos Estados Unidos, além de atuar como cantora, compositora e instrumentista (cantava em bares, boates, clubes e igrejas), Jane Duboc trabalhou com publicidade sendo premiada e aparecendo na TV com seu comercial. Na universidade, estudou orquestração, canto lírico, flauta e arte dramática, onde também chegou a lecionar História da Música.

Retornou ao Brasil na década de 70. Formou o "Grupo Fein" , que se apresentava cantando somente em inglês. Gravou o compacto "Pollution", na época produzido por Raul Seixas. A letra da música composta por Jane foi vetada pela censura (considerada subversiva para a época) e ela gravou tudo em "scat". Trabalhou com Raul Seixas e participou de seus discos. Foi integrante da "Banda Veneno" do maestro Erlon Chaves. Também integrou o coral da Rede Globo gravando várias aberturas de programas e participou de um disco de Chico Anysio ("Linguinha"). Com o ex-marido americano Jay Anthony Vaquer, gravou um LP para a RCA: "Morning The Musicians" com a participação de Luiz Eça, Paulo Moura, Noveli e Bil French.


Ainda nos anos 70 excursionou com Egberto Gismonti nos shows "Água e Vinho I e II", participando do seu CD "Árvore" fazendo vocais e tocando percussão. Participou do VI FESTIVAL INTERNACIONAL DA CANÇÃO (FIC), defendendo com Sérgio Sampaio a música "No ano 83". Gravou a trilha sonora para o filme "Janaina" (com Marlene França) e da peça "Encontro no Bar" (com Camila Amado e Otávio Augusto). Para o selo Marcus Pereira, gravou o LP "Acalantos Brasileiros" e participou da série "Música Popular do Norte" cantando músicas folclóricas regionais. Desta série também participaram Elis Regina (Sudeste) e Nara Leão (Nordeste). Compôs e gravou com Guto Graça Melo a trilha sonora do filme "Amor Bandido" de Bruno Barreto.

Jane Duboc foi integrante da "Zurama Jingles" gravando comerciais para a companhia de Ivan Lins, Eduardo Souto Neto, Tavito e Paulo Sergio Valle (cantou no comercial da "Soletur Turismo" que foi veiculado em rede nacional de TV). Também foi integrante da "Rio Jazz Orquestra" de Marcus Spillman, cantando temas de Duke Ellington e outros nomes do Jazz. Participou das gravações de discos dos grupos "Os Motokas" e "Os Skates" cantando com Claudinha Telles e o Grupo Roupa Nova (na época: "Os Fanks"). Juntos faziam covers e imitavam artistas como Alcione. 

             Nos anos 80, Jane Duboc também fez muita coisa. Participou do festival "MPB 80" promovido pela Rede Globo de Televisão com a música "Saudade". Assinou contrato com a Som Livre e gravou um compacto com a música "Cheiro de Amor" (sucesso na voz de Maria Bethânia).

Na Som Livre foi integrante do grupo vocal "Cantamor" e gravou dois discos. Participou de vários especiais da Rede Globo (Roberto Carlos, Fábio Jr., Pirlimpimpim, Arca de Noé-2, Verde Que Te Quero Ver e muitos outros). Em 1982 participou do "MPB-Shell" e classificou a música "Tentação" (Tunai e Sérgio Natureza). Seus fãs mais ardorosos e o fã-clube "Minas em Mim" já conseguiram catalogar mais de cem discos com a participação de Jane Duboc. Discos de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, Hermeto Pascoal, Roberto Sion, Sarah Vaughan, além de discos infantis e curso de inglês.


Ainda na década de 80, Jane Duboc percorreu o Brasil fazendo shows com Filó, Hélio Delmiro, Tunai, Aécio Flavio, Peri Ribeiro, Márcio Montarroyos, Toninho Horta e Miucha. Com Toquinho excursionou pelo Brasil com o show "Doce Vida" (recebeu elogios de Elis Regina) e viajou com ele pela Itália, gravando um disco em Milano (Milão). Gravou com o Grupo Bacamarte de Rock Progressivo o CD "Depois do Fim" com quem também fez alguns shows.

O sucesso e o reconhecimento nacional vieram com a sua fase romântica quando em 1987 gravou as músicas "Chama da Paixão" e "Sonhos" com grande execução nas emissoras de rádio e apresentações em vários programas de televisão. Tal sucesso abriu caminho para a sua participação em quatro trilhas de novelas, dentre elas a "Vale Tudo" com a música "Besame" (Flávio Venturini e Murilo Antunes).


Um outro lado pouco conhecido de Jane Duboc é o de escritora. Ela é autora dos livros: "Através de Paredes" (poemas), "Jeguelhinho" e "Bia e Buze" (infantis). Os livros infantis também são peças musicais.  Os livros foram lançados pelo editora paraense CEJUPE :

Trav. Rui Barbosa, 726 - 66.053-260
Belém - PA, Tel: (91) 225-0355,
Fax: (91) 241-3184.

Com o grande respaldo de sua formação nos Estados Unidos, Jane Duboc assinou contrato com José Maurício Machline  para fazer o espetáculo "Movie Melodies", todo cantado em inglês e abordando temas de trilhas sonoras de filmes que marcaram época. O show teve tamanha receptividade que a gravadora "Movie Play" transformou-o em um CD. Seguramente um dos mais belos discos da carreira fonográfica de Jane Duboc. O show foi um verdadeiro cult e Jane Duboc já pensa em uma nova versão para ele.

MINAS GERAIS: a identidade de Jane Duboc com Minas é antiga. Ela gravou em 1980 no seu primeiro disco solo "Languidez" a música "Manuel, O Audaz" dos compositores mineiros Toninho Horta e Fernando Brant, fazendo-a lembrar do seu jipe que ela e a mãe dirigiam em Natal quando Jane fazia shows por lá.


             Em 1988 como prova de amor e grande carinho pelos compositores e público mineiros, Jane Duboc compôs e gravou "Minas em Mim" em um LP onde a maioria das composições são de Minas Gerais e que acabou se transformando em um especial de televisão, transmitido pela TV Bandeirantes. Em 1995 Minas Gerais recebeu uma nova homenagem de Jane Duboc: o CD "Partituras", um verdadeiro songbook de Flávio Venturini, mostrando para o mundo que ninguém sabe cantar Minas Gerais como ela. Outro destaque em sua carreira foi a gravação do CD "Brasiliano" onde Jane Duboc canta em italiano sucessos da Itália, mas tudo com um ritmo de bossa.  O CD só foi lançado na Itália pela Globo Records.

Outro grande momento na carreira de Jane Duboc foi ter gravado o CD "Paraíso" com o já falecido saxofonista Gerry Mulligan, um dos mais respeitados nomes do Jazz mundial. Como diz Jane, um namoro musical que começou desde o tempo em que Jane excursionava com Toquinho pela Itália e que se transformou em um belíssimo disco lançado inclusive no Japão. E foi a convite da prefeitura de Gifu no Japão que Jane Duboc e Roberto Sion fizeram juntos o CD "From Brazil To Japan", cidade onde também eles se apresentaram. A voz de Jane Duboc fez muito sucesso no Japão quando a música "Canção do Sal" de Milton Nascimento, gravada por Jane Duboc em participação especial no CD de Marco Bosco foi muito executada nas rádios, fazendo os japoneses cantarem em português.

Nos últimos anos Jane Duboc também investiu sua bonita voz em publicidade, gravando comerciais que foram veiculados em rede nacional: Lojas Riachuelo, Carrefour, Soletur Turismo, Desodorante Impulse, Vódica Eristof, Cerveja Bhrama, Banco do Brasil, Biscoitos Nabisco, Chocolates Sufflair e muitos outros. 

            Durante seis anos, Jane Duboc foi empresária. Sócia de Paulo Amorim , Jane Duboc abriu uma gravadora na Barra da Tijuca-RJ. A gravadora se chamou JAM Music e por lá  passaram artistas como Angela Ro Ro, Célia, Zé Luiz , Tunai, Beth Carvalho, Alaíde Costa, Oswaldo Montenegro, além de nomes novos nos quais Jane Duboc  apostou tudo! Em 2002 Jane Duboc recebeu um convite do Maestro Nelson Ayres para, junto com Edu Lobo, cantar com a Orquestra Sinfônica de Israel (do maestro Zubin Mehta), uma das cinco melhores orquestras sinfônicas do mundo. O show aconteceu em Israel.

           Ainda em 2002 Jane Duboc comemorou seus 30 anos de carreira e lançou através de sua gravadora o CD "Sweet Lady Jane" gravado em Nova York com produção de Ivan Lins. O CD recebeu elogios da crítica e é um dos melhores discos que Jane Duboc já fez. Para lançar este CD Jane Duboc fez shows em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília acompanhada por uma orquestra com 30 músicos e solistas convidados especiais, como o grande maestro Nelson Ayres. Jane Duboc também fez um VCD de aproximadamente 15 minutos com fotos de sua carreira, desde a infância até "Sweet Lady Jane". 

           Em 2003 Jane Duboc em comemoração aos seus 30 anos de carreira, realizou um grande sonho seu: relançou em CD através de sua gravadora JAM Music, seu primeiro LP solo: "Languidez" (1980) que reúne um grande número de músicos importantes da MPB como: Djvan, Toninho Horta, Oswaldo Montenegro, Márcio Montarroyos, Hélio Delmiro, Luiz Avelar, Sivuca e canções como "Que Outro Dia Amanheça", "Manuel, O Audaz" e "Saudade". Em outubro de 2003, Jane Duboc recebeu um convite especial do premiado maestro Marcelo Ramos, regente titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, para realizar um espetáculo sinfônico em homenagem ao compositor mineiro Ary Barroso que completaria 100 anos de vida. Foi a primeira vez que uma 
orquestra sinfônica do Brasil prestou esta homenagem. O show foi gravado e transformado em um especial de TV. 

          Também em 2003 a gravadora "EMI Music South East Asia" incluiu Jane Duboc como cantora brasileira para fazer parte do CD "PINK - CHAMPAGNE", uma coletânea onde se destacam grandes cantoras mundiais como Ella Fitzgerald, Billie Holliday, Sarah Vaughan, Liza Minnelli, Edith Piaf, Nina Simone, Judy Garland e outras.

          Em 2004 a gravadora "Universal Music Polska" lançou na Bulgária o CD "Rendez-Vous On The Jazz Boulevard" - Vol. 2, um CD coletânea que inclui Jane Duboc além de outros grandes nomes da boa música 
mundial como Norah Jones, Diana Krall, Natalie Cole, Josefine Cronholm, Patricia Kass, Roberta Flack, Laura Fygi, Julie London, dentre outras.A Rede Globo de Televisão, através do programa "Ação" entregou à Jane 
Duboc e Celso Viáfora o prêmio "Ação 5 Anos" por seu trabalho realizado no Barracão dos Sonhos da comunidade carente de Paraisópolis-SP.

          Em março de 2005 Jane Duboc recebeu um convite de Ricardo Queiroz para, junto com Wagner Tiso e Victor  Biglione, cantar no Festival de Música Latina que acontece anualmente em Vantaa na Finlândia. O show  acabou sendo mostrado também no Brasil e foi muito aplaudido. Em agosto de 2005 Jane Duboc lançou no Japão sob encomenda da Gravadora ARGUS, o CD "Glow" com seis músicas inéditas e de sua autoria, todas  em inglês com grande destaque para a maravilhosa canção "Spend The Night". Também fez uma letra em inglês para a música "Chama da Paixão", grande sucesso nacional e agora lançada no Japão. O CD "Glow" foi lançado no Brasil em 2006.  O CD coletânea "Uma Voz, Uma Paixão" foi indicado ao Grammy Latino 2006 de música.

          Em 2007 e 2008 Jane Duboc lançou dois discos pela gravadora Biscoito Fino: "Uma Porção de Marias" e "Canção da Espera". Os dois discos foram elogiados pela crítica por causa da qualidade de produção. "Canção da Espera" é um disco em homenagem ao músico e amigo Egberto Gismonti.

          Em 2009 Jane Duboc realizou um grande sonho: homenagear sua mestra e diva da canção negra Ella Fitzgerald lançando um CD tributo pela gravadora Rob Digital. A imprensa de todo o Brasil teceu elogios de norte a sul pela belíssima produção de arranjos que Jane Duboc e os músicos convidados fizeram para o disco. Este disco lhe rendeu em 2010 o prêmio de melhor disco brasileiro em língua estrangeira patrocinado pela Companhia Vale do Rio Doce. Também em 2010 Jane Duboc participou do Festival de Jazz em Portugal que aconteceu na Ilha da Madeira e ajudou a produzir a peça infantil "O Índio Cauã e a Sustentabilidade", compondo todas as músicas e fazendo a direção musical e de voz dos atores.

          No início de 2011 com a reabertura da sua gravadora JAM Music, Jane Duboc lançou o CD "Sweet Face Of Love - Jane Duboc sings Jay Vaquer" que reúne 11 músicas de seu filho Jay com letras em inglês. O disco que foi produzido pela própria Jane, contou com arranjos primorosos de Rob Mounsey, Nigel Shore, Toninho Horta e tem a participação vocal de Pedro Mariano, Isabella Taviani, Jay Vaquer, Jorge Vercillo e Milton Nascimento. Também em 2011 Jane Duboc deu início ao projeto da peça infantil "O Índio Cauã e a Sustentabilidade" onde foi diretora musical e compôs as músicas. A peça infantil teve a produção de Luciannna Martins  com temporadas no Rio de Janeiro.

          Em 2012 lançou um novo livro infantil. Na verdade é um audiolivro: "Lian, o surfista da Pororoca" que também é uma peça de teatro musical. O livro acompanha um CD com a estória e as músicas compostas por Jane e tem uma resenha do cantor, compositor e instrumentista Toquinho na capa. Também em 2012 Jane lançou um novo CD "Home is a River" com Jeff Gardner. O disco traz canções inéditas em Inglês e Português e participou do Grupo Voz4uatro ao lado de Célia Vaz, Clarice Grova e Márcio Lott fazendo shows com a participação especial de Emilio Santiago.

          Em 2013 Jane Duboc lançou o livro "Tomara" que fala sobre a felicidade e como as mulheres, em qualquer lugar do mundo, são muito semelhantes, em suas diferenças. Também em 2013 Jane Duboc recebeu o Prêmio TOP OF BUSINESS que aconteceu no Sheraton Rio em 05 de julho. O prêmio foi entregue à Jane por sua contribuição para a Cultura e Empreendedorismo no Brasil. O ano de 2013 foi marcado especialmente pela comemoração dos 30 anos do fã-clube "Minas em Mim" em Belo Horizonte quando Jane Duboc participou do Projeto "Salve Rainhas" na Sala Funarte. O projeto que é concebido pelo produtor Pedrinho Alves Madeira contou com a participação no show de Flávio Venturini e do músico Keko Brandão que foi trazido pelo "Minas em Mim" especialmente para tocar para a Jane. O show foi gravado pela Rede Minas de tv.

         Em 2014 Jane Duboc foi convidada por Marcelo Aquino para fazer a direção musical do espetáculo "Ana - Ensaios sobre o tempo e o vento" baseado na obra de Érico Veríssimo "O Tempo e o Vento". Além de compor sete músicas para o musical, atuou na peça, tocou piano e flauta. O espetáculo ficou em cartaz no Rio de Janeiro mostrando oito versões de mulheres que fizeram o papel de Ana Terra. Participou dos shows "Depois do Fim" do Grupo Bacamarte de rock progressivo no Rio de Janeiro e em São Paulo. Na década de 80 Jane Duboc participou da gravação do disco "Depois do Fim" que foi relançado em CD pelo próprio grupo de forma independente e depois pela Som Livre. Fez show com a Amazônia Jazz Band e foi convidada pelo diretor Fernando Cardoso para ao lado de Miele e da cantora Célia, fazer a estréia em Belo Horizonte do musical "É Melhor Ser Alegre Que Ser Triste", um tributo a Vinicius de Moraes. Em 2014 e início de 2015 Jane ajudou seu filho Jay Vaquer nos ensaios do musical "Cinza", uma ópera rock que vem recebendo elogios da crítica carioca pela inovação apresentada nos textos, músicas e cenário, todos concebidos pelo Jay.


          É muito legal ver que uma artista como a Jane tem tanta competência, humildade, carinho e amor no coração. 

                                Pedro Paulo Brandi

                                        Presidente

               "Minas em Mim" Fã-Clube Jane Duboc

 

 

                                   BIOGRAFHY

                           (By Eduardo Sakata)

Born in Belém do Pará, Brazil, Jane Duboc Vaquer is used to singing. At thirteen she participated in philanthropic shows at school, on television and at festivals. In Belém Jane formed a group named “Ilusão” (“Illusion”) and during the time she lived in Natal, she formed a group called “Quartet of the Tri,“ the name being due to the fact that all members of the group had been three times champions in sports and to the fact that the group itself immitated another Brazilian group called “Quarteto em Cy” . Jane Duboc used to take part in many sports events such as swimming, volley ball, tennis and table tennis, winning several medals in local competions. Due to her qualities as sportsperson, the “Assembléia Legistativa” of Belém  created the Jane Duboc Vaquer Award in order to incentive all sportspeople in Belém.  

At seventeen Jane Duboc was granted a scholarship for the Columbus University. She then moved to Georgia, USA, where she lived for six years. She got married to the musician Jay Anthony Vaquer and had a son called Jay Vaquer, who is currently investing in his career as singer and actor. In the United States, besides acting as singer (she used to sing in bars, night clubs and churches), composer and musician Jane Duboc worked in Advertising. She received an award and starred a tv commercial. At college she not only studied orchestration, lyric singing, flute and dramatic arts, but also taught History of Music.  

She returned to Brazil in the 70’s. Then formed the “Fein Jazz Band”, a group that performed only songs in English. She recorded a single ("Pollution") produced by Raul Seixas. The lyrics of the song were considered subversive at that time and therefore censored, so she recorded the song humming rather than singing. Jane also worked with Raul Seixas and participated in his albums. She was a singer in Erlon Chaves’ "Banda Veneno" and was also part of Rede Globo’s choir, recording several opening songs for programs and participated in one of Chico Anysio’s albums (named "Linguinha"). With her former American husband Jay Anthony Vaquer she recorded the album "The Morning Of The Musicians" for RCA, featuring Luiz Eça, Paulo Moura, Noveli and Bill French.  

In the 70’s she also went on tour with Egberto Gismonti around Brazil with the shows "Água e Vinho I e II" (“Water and Wine – Volumes I and II”), participating in his CD "Árvore" (“Tree”) as backing vocal and also percussionist. She took part in the “VI FESTIVAL INTERNACIONAL DA CANÇÃO (FIC)” (an international song festival) performing Sérgio Sampaio’s song "No ano 83" (“In 83”.) She also participated in the soundtrack of the movie "Janaina" (starring Marlene França) and also the play "Encontro no Bar" (“Meeting at the bar”, starring Camila Amado and Otávio Augusto). She recorded the album "Acalantos Brasileiros" (“Brazilian lullabies”) for Marcus Pereira Records and took part in the series "Música Popular do Norte" (“Popular Music from the North”) singing regional folklore songs. That series also featured Elis Regina ("Música Popular do Sudeste") and Nara Leão ("Música Popular do Nordeste.”) She also composed and recorded with Guto Graça Melo the main song of Bruno Barreto’s movie "Amor Bandido." (“Bandit love”)  

Jane Duboc was part of  “Zurama Jingles”, recording commercials for the companies of Ivan Lins, Eduardo Souto Neto, Tavito and Paulo Sérgio Valle (she sang in Soletur Turismo’s commercial, broadcasted nationwide.)  She was also a member of Marcus Spillman’s "Rio Jazz Orchestra" performing music by Duke Ellington and other Jazz musicians. She also featured recordings by groups such as "Os Motokas" and "Os Skates". She also sang with Claudinha Telles and the Group Roupa Nova (formerly known as "Os Famks"). Together they made covers and immitated other singers, such as Alcione.  

In the 80’s Jane Duboc also worked a lot. She participated in Rede Globo de Televisão’s festival called "MPB 80" performing the hit "Saudade". She signed a contract with Som Livre and released the single "Cheiro de Amor" (which was also recorded by Maria Bethania and became a hit).  

At Som Livre she was a member of  the group called "Cantamor", recording two albums. She participated in many of Rede Globo’s TV Specials (Roberto Carlos, Fábio Jr., Pirlimpimpim, Arca de Noé-2, Verde Que Te Quero Ver, among others).  In 1982 she participated in another festival ("MPB-Shell”) performing the hit "Tentação" (by Tunai e Sérgio Natureza).  

Jane’s most enthusiastic fans and the Official Fan Club “Minas em Mim” have already managed to catalogue more than 100 albuns in which Jane Duboc participated. The list includes albuns from artists like Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, Hermeto Pascoal, Roberto Sion, Sarah Vaughan and range from albums, soundtracks and recordings for children to English courses. It was not an easy task, considering that in many of those records, the credits go to “Jane”, “Jane Vaquer” , “Jane Duboc Vaquer” or there is simply no credit at all.  

Still in the 80’s Jane Duboc went on tour around Brasil in shows with Filó, Hélio Delmiro, Tunai, Aécio Flavio, Peri Ribeiro, Márcio Montarroyos, Toninho Horta and Miucha, among others.  


           With Toquinho she went on tour not only around Brasil with the show named "Doce Vida" (she was praised by Elis Regina), but also around Italy, where she recorded an album in Milan.  

Success and national acknowledgement came with her romantic phase when she recorded the songs "Chama da Paixão" and "Sonhos" back in 1987. Both songs were extensively played on the radio and she had appearences in several tv programs. Such success led to her participation in four soundtracks of Brazilian soup operas, featuring the song "Besame" (by Flávio Venturini and Murilo Antunes) in the soap opera "Vale Tudo."  

Few people know Jane’s skills as a writer. She is the author of the following books: "Através de Paredes" (poems), "Jeguelhinho" and "Bia e Buze" (for children). The books for children also became musical plays. Unfortunately the albums with the songs for children have not come out due to lack of sponsorship. However, the books were released by CEJUPE, a publishing company from Pará (their address is Travessa Rui Barbosa, 726 - 66.053-260 - Belém – PA – BRAZIL.  

Due to her musical background acquired in the United States, Jane Duboc signed a contract with José Maurício Machline  to stage the show named "Movie Melodies", which featured classic movie themes – all sung in English. The show was such a success that the Movie Play Record Company decided to release a CD with the soundtrack of the show. That CD is certainly one of the most beautiful ones of Jane’s career. The show has acquired the status of cult and Jane Duboc is already thinking about a sequel.  

MINAS GERAIS: Jane’s identification with that state comes from a long way back. She recorded the song "Manuel, O Audaz" (by the composers from Minas Gerais Toninho Horta and Fernando Brant) in her first solo album in 1980 named "Languidez."  The title of the song is because of a jeep she had, nicknamed Manuel, reminding her of the time when she and her mom used to drive around Natal at the time Jane was on tour there.  

In 1988 as a gesture of love and affection for composers and her fans from Minas Gerais, Jane Duboc composed and recorded "Minas em Mim" (an album which features mostly songs by composers from Minas Gerais). That album became a TV special broadcasted by Rede Bandeirantes. In 1995 Minas Gerais was honored by Jane Duboc once more: the CD named "Partituras," showing the world that no one else knows how to portrait Minas Gerais through songs (and perform them) like her.  

Another feature in her career is the CD "Brasiliano" in which Jane Duboc sings Italian classics in Bossa Nova style. Unfortunately Globo Records released the CD only in Italy.  


             Another of her greatest moments was the
CD "Paraíso", recorded with the late sax player Gerry Mulligan, one of the most respectful Jazz players in the world. As Jane says, it was a musical romance that started back at the time when she was on tour with Toquinho around Italy. The CD “Paraíso” shows  outstanding quality and was even released in Japan. By the way, the City Hall of the Japanese city of Gifu, invited Jane Duboc and Roberto Sion to create the CD "From Brazil To Japan" and to make some shows there. Jane Duboc’s voice was very successful in Japan, particularly when she sang Milton Nascimento’s "Canção do Sal". The song was included in Marco Bosco’s CD (with special participation by Jane Duboc, of course) and it was played quite a lot on Japanese radio stations, making the Japanese people sing in Portuguese.  

In recent years Jane Duboc has been investing in Advertising, using her beautiful voice in commercials all over Brazil: Riachuelo Department Store, Carrefour, Soletur Turismo, Impulse Deodorant, Eristof Vodka, Brahma Beer, Banco do Brasil, Nabisco Biscuits, Sufflair Chocolates and many others.  

That is what Jane enjoys doing: working. She has been entrepreneur for six year. With her partner Paulo Amorim, Jane Duboc opened JAM Music - a record company in Barra da Tijuca – Rio de Janeiro. Famous artist such as Angela Ro Ro, Célia, Zé Luiz, Tunai, Beth Carvalho, Alaíde Costa, Oswaldo Montenegro mingle with newcomers whom Jane Duboc is betting on!  


           
In 2002 Jane Duboc was invited by Maestro Nelson Ayres to sing with Edu Lobo and the Israel Philarmonic Orchestra (conducted by Zubin Mehta), one of the five best symphonic orchestras in the world. The show took place in Israel.  

It was also in 2002 that Jane Duboc celebrated her 30 years of career. The CD "Sweet Lady Jane" (JAM Records, 2002) was mastered in New York and produced by Ivan Lins, being praised by the critics and considered one of  Jane Duboc's best cd's. There were shows in São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte and Brasília in order to promote the release of the CD. She was accompanied by an orchestra with 30 musicians e and special guests such as maestro Nelson Ayres. Jane Duboc also made a VCD (approximately 15 minutes) with photos of her career, from her childhood to the period of "Sweet Lady Jane."  

In 2003 as part of her celebration of 30 years of her career, Jane Duboc made one of her dreams come true: she released her first solo album ("Languidez" - 1980) on CD through JAM Music, her recording company. The album features a wide range of outstanding Brazilian musicians such as Djavan, Toninho Horta, Oswaldo Montenegro, Márcio Montarroyos, Hélio Delmiro, Luiz Avelar, Sivuca. Among the songs are "Que Outro Dia Amanheça", "Manuel, O Audaz" and "Saudade." In October 2003 Jane Duboc was invited by the awarded maestro Marcelo Ramos of the Symphonic Orchestra of Minas Gerais to make a symphonic spectacle to celebrate the Centennial Anniversary of the composer Ary Barroso, also born in Minas Gerais. That was the first time that a symphonic orchestra made such tribute. The show was recorded and became a TV special.


          
It was also in 2003 that the record company "EMI Music South East Asia" included Jane Duboc as a representative of Brazilian singers to be part of the CD "PINK - CHAMPAGNE", a collection that features worldwide famous singers like Ella Fitzgerald, Billie Holliday, Sarah Vaughan, Liza Minnelli, Edith Piaf, Nina Simone, Judy Garland, among others.  


          
In 2004 the record company "Universal Music Polska" released the CD "Rendez-Vous On The Jazz Boulevard" - Vol. 2 in Bulgary. The CD is a collection that includes Jane Duboc among worldwide stars such as Norah Jones, Diana Krall, Natalie Cole, Josefine Cronholm, Patricia Kass, Roberta Flack, Laura Fygi and Julie London.  

Rede Globo de Televisão through the program "Ação" gave Jane Duboc and Celso Viáfora the award "Ação 5 Anos" acknowledging the work being done at Barracão dos Sonhos in Paraisópolis, one of the inner cities in São Paulo.

In March 2005 Jane Duboc was invited by Ricardo Queiroz to sing with Wagner Tiso and Victor Biglione in the annual Latin Music Festival in Vantaa, Finnland. The show was also exhibited in Brazil and it was very applauded. In August 2005 Jane Duboc released the CD called "Glow" (Argus Records), which included six songs in English composed by Jane and never recorded before, featuring the marvellous song "Spend the night". She also made a version in English for the song "Chama da Paixão", a great hit all over Brazil and now released in Japan. Her next project is the new CD  "Minas in blues" in honor of Minas Gerais and the DVD "Dear Ella" in honor of Ella Fitzgerald.

 

                 By Eduardo Eizi Sakata

 

It is very nice to see that an artist such as Jane Duboc is so competent, humble, tender and has so much love in her heart.